Sobek: Conheça o Deus Egípcio da Fertilidade

13/04/2022

     Sobek é, na Mitologia Egípcia, além de ser associado ao poder do faraó e as vitórias militares, o Deus da Fertilidade, junto a divindade Min. Conheça mais sobre esse Deus crocodiliano do Egito.

Sobek na Mitologia Egípcia:

     Sobek ou Sebek, era uma antiga divindade egípcia com uma história e natureza complexas e elásticas. Ele está associado ao crocodilo do Nilo ou ao crocodilo da África Ocidental e é representado em sua forma ou como um humano com cabeça de crocodilo. 

     Sobek também foi associado ao poder faraônico, fertilidade e proeza militar, mas serviu adicionalmente como uma divindade protetora com qualidades apotropaicas, invocada especialmente para proteção contra os perigos apresentados pelo Nilo.

História de Sobek:

     Sobek desfrutou de uma presença de longa data no antigo panteão egípcio, desde o Antigo Reino do Egito (c. 2686-2181 aC) até o período romano (c. 30 ac - 350 dc). Ele é conhecido pela primeira vez a partir de vários Textos de Pirâmide diferentes do Reino Antigo. O feitiço, que elogia o faraó como a encarnação viva do deus crocodilo, diz:

Unis é Sobek, verde de plumagem, com rosto alerta e fronte erguido, aquele que espirrava da coxa e cauda da grande deusa à luz do sol... Unis apareceu como Sobek, filho de Neith. Unis vai comer com a boca, Unis vai urinar e Unis vai copular com o pênis. Unis é o senhor do sêmen, que leva as mulheres de seus maridos para o lugar que Unis gosta de acordo com a fantasia do seu coração.

Origem:

     A origem de seu nome, Sobek em egípcio, é debatida entre os estudiosos, mas muitos acreditam que seja derivado de um causativo do verbo "engravidar". Esta estátua de Sobek foi encontrada no templo mortuário de Amenemhat III (que estava ligado à sua pirâmide em Hawara no Faiyum ), servindo como testemunho da devoção deste rei a Sobek. Museu Ashmolean, Oxford

     Esta estátua do período tardio (c. 400-250 ac) mostra Sobek carregando a cabeça de falcão de Re-Harakhti, ilustrando a fusão de Sobek e Re em Sobek-Re. Museu de Arte Walters, Baltimore.

     Embora Sobek fosse adorado no Reino Antigo, ele realmente ganhou destaque no Reino Médio (c. 2055-1650 ac), principalmente sob o faraó da Décima Segunda Dinastia, Amenemhat III. Amenemhat III tinha um interesse particular no Faiyum do Egito, uma região fortemente associada a Sobek, o Deus da Fertilidade. Amenemhat e muitos de seus contemporâneos dinásticos se envolveram em projetos de construção para promover Sobek - projetos que eram frequentemente executados no Faiyum. 

     Neste período, Sobek também passou por uma mudança importante: ele foi muitas vezes fundido com o deus com cabeça de falcão da realeza divina, Hórus. Isso aproximou Sobek ainda mais dos reis do Egito, dando-lhe assim um lugar de maior destaque no panteão egípcio. A fusão adicionou um nível mais fino de complexidade à natureza do deus, pois ele foi adotado na tríade divina de Hórus e seus dois pais: Osíris e Ísis.


Livros de Mitologia Egípcia em Oferta >>> https://amzn.to/30kwIoW


Divindade Protetora:

     É a partir dessa associação com a cura que Sobek foi considerado uma divindade protetora e fértil. Sua ferocidade foi capaz de afastar o mal e, ao mesmo tempo, defender os inocentes. Ele foi assim feito um sujeito de piedade pessoal e um destinatário comum de ofertas votivas , particularmente nos períodos posteriores da história egípcia antiga. Não era incomum, particularmente no Egito ptolomaico e romano, que os crocodilos fossem preservados como múmias para apresentar nos centros de culto de Sobek. Sobek também foi oferecido ovos de crocodilo mumificados, destinados a enfatizar a natureza cíclica de seus atributos solares como Sobek-Ra. Da mesma forma, os crocodilos foram criados por motivos religiosos como encarnações vivas de Sobek.

     Após suas mortes, eles foram mumificados em uma grande exibição ritual como manifestações sagradas, mas terrenas, de seu deus patrono. Esta prática foi executada especificamente no templo principal de Crocodilópolis. Esses crocodilos mumificados foram encontrados com crocodilos bebês na boca e nas costas. O crocodilo é um dos poucos répteis vistos a cuidar diligentemente de seus filhotes, e muitas vezes transporta seus filhotes dessa maneira. A prática de preservar esse aspecto do comportamento do animal por meio da mumificação provavelmente visa enfatizar os aspectos protetores e nutridores do feroz Sobek, pois ele protege o povo egípcio da mesma maneira que o crocodilo protege seus filhotes.

     No Egito ptolomaico e romano, uma monografia local chamada Livro do Faiyum centrava-se em Sobek, com uma porção considerável dedicada à jornada feita por Sobek-Ra a cada dia com o movimento do sol pelo céu. O texto também se concentra fortemente no papel central de Sobek na criação como uma manifestação de Ra, como se diz que ele surgiu das águas primitivas do Lago Moeris, não muito diferente da Ogdoad no mito tradicional da criação de Hermópolis.

     Existem muitas cópias variadas do livro e muitos estudiosos acham que foi produzido em grandes quantidades como um "best-seller" na antiguidade. A relação integral entre o Faiyum e Sobek é destacada através deste texto, e sua influência de longo alcance é vista também em localidades que estão fora do Faiyum; uma parte do livro é copiada no Templo do Alto Egito (que significa sul do Egito) de Kom Ombo.

Confira Também:

Caos é um Deus Grego e foi considerado por Hesíodo como a primeira divindade a surgir no universo, portanto ele é o mais velho dos Deuses e Titãs. Também é conhecido como Deus primordial da Criação na Mitologia Grega.

Selene é, na Mitologia Grega, a Deusa da Lua. Mas diferentemente de Ártemis (que é da nova geração), Selene é a Deusa Antiga que representa o astro lunar. Essa divindade era muito querida entre os povos antigos.

Plutão ou Pluto, é o nome dado, na Mitologia Romana, ao Deus Grego Hades. Pluto é o Rei do Submundo e tem como animal de estimação, Cérbero, o Cão de três cabeças e guardião do submundo.

Júpiter é o nome dado - na Mitologia Romana a Zeus, o Deus Grego do Trovão e Rei dos Deuses. Zeus foi a divindade mais relevante das mitologias grega e romana, conheça mais sobre este ícone abaixo.

Thalia é, na Mitologia Grega, uma das dezenas de filhas do deus do trovão, Zeus. Essa "semideus" aparece na saga de filmes Percy Jackson e ficou bem conhecida a partir daí. Conheça mais sobre Thalia abaixo.

Fanes é uma divindade pouco conhecida na Mitologia Grega e é associado como o Deus da Vida. Muitas vezes é associado com Caos e também, como a divindade da criação. Foi filho de Chronos, confira abaixo.

Aurora foi, na Mitologia Romana, a Deusa do Amanhecer. Essa divindade (teoricamente) foi um plágio da Deusa Grega "Eos" e também, da Deusa Hindu, Hausus, confira a matéria abaixo.

Laverna é uma deusa exclusiva da Mitologia Romana e essa divindade é a protetora dos ladrões. Laverna tinha seu próprio santuário em Roma, além de ser um antigo espírito do submundo!