Sátiro: A Divindade da Natureza na Mitologia Grega

15/06/2021

     Sátiro é, na Mitologia Grega, a Divindade dos bosques e da natureza. Muitas vezes são associados com o Deus Pã (que também é um Sátiro, no entanto, é uma personalidade única). Confira.


Sátiro na Mitologia Grega:

     Na Mitologia Grega, um Sátiro, é um espírito da natureza masculina com orelhas e cauda semelhantes às de um cavalo, bem como uma ereção permanente e exagerada. As primeiras representações artísticas às vezes incluem pernas semelhantes a cavalos, mas, no século VI aC, eram mais frequentemente representadas com pernas humanas. Comicamente hediondos, eles têm cabelos semelhantes aos de uma juba, rostos bestiais e nariz arrebitado e são sempre mostrados nus. 

     Os sátiros eram caracterizados por sua obscenidade e eram conhecidos como amantes do vinho, da música, da dança e das mulheres. Eles eram companheiros do deus Dionísio e acreditava-se que viviam em locais remotos, como bosques, montanhas e pastagens. Eles frequentemente tentavam seduzir ou estuprar ninfas e mulheres mortais, geralmente com pouco sucesso. Às vezes, eles são mostrados se masturbando ou praticando bestialidade.

      Na Atenas clássica, os sátiros compunham o coro em um gênero de peça conhecido como "peça de sátiro", que era uma paródia da tragédia e era conhecido por seu humor obsceno e obsceno. A única peça sobrevivente completa desse gênero é Ciclope de Eurípides, embora uma parte significativa da Ichneutae de Sófocles também tenha sobrevivido. Na mitologia, diz-se que o sátiro Marsyas desafiou o deus Apolo para um concurso musical e foi esfolado vivo por sua arrogância. 

     Embora superficialmente ridículos, os sátiros também eram considerados possuidores de conhecimento útil, se pudessem ser persuadidos a revelá-lo. O sátiro Silenus era o tutor do jovem Dionísio e uma história de Jônia contava sobre um silenos que deu bons conselhos quando capturado.

Sátiros eram mais Humanos do que Bestas!

     Ao longo da história grega, os sátiros foram gradualmente sendo retratados como mais humanos e menos bestiais. Eles também começaram a adquirir características de cabra em algumas representações como resultado da fusão com os Pans, formas plurais do deus Pã com as pernas e chifres de cabras. Os romanos identificaram os sátiros com seus espíritos da natureza nativos, faunos. Eventualmente, a distinção entre os dois foi totalmente perdida. 
 
     Desde a Renascença, os sátiros costumam ser representados com pernas e chifres de cabra. Representações de sátiros brincando com ninfas são comuns na arte ocidental, com muitos artistas famosos criando obras sobre o tema. Desde o início do século XX, os sátiros geralmente perderam muito de sua obscenidade característica, tornando-se figuras mais domesticadas e domésticas. Eles comumente aparecem em obras de fantasia e literatura infantil, nas quais são mais frequentemente chamados de "faunos".

Mitologia:

     De acordo com o classicista William Hansen, embora os sátiros fossem populares na arte clássica, eles raramente aparecem em relatos mitológicos sobreviventes. Diferentes fontes clássicas apresentam relatos conflitantes sobre as origens dos sátiros. De acordo com um fragmento do Catálogo Hesiódico de Mulheres, os sátiros são filhos das cinco netas de Phoroneus e, portanto, irmãos dos Oreads e dos Kouretes. O sátiro Marsias, no entanto, é descrito pelos mitógrafos como filho de Olimpo ou Oiagros. Hansen observa que "pode ​​haver mais de uma maneira de produzir um sátiro, assim como há de produzir um ciclope ou um centauro". Os gregos clássicos reconheceram que os sátiros obviamente não podiam se auto-reproduzir, uma vez que não havia sátiros femininas, mas eles parecem não ter certeza se os sátiros eram mortais ou imortais.

     Em vez de aparecer em massa como nas peças de sátiros, quando os sátiros aparecem nos mitos, geralmente é na forma de um único personagem famoso. O dramaturgo cômico Melanípides de Melos (c. 480-430 aC) conta a história em sua comédia perdida Marsias de como, após inventar o aulos, a deusa Atena se olhou no espelho enquanto o representava. Ela viu como soprar nele inchava suas bochechas e a fazia parecer boba, então ela jogou o aulos fora e o amaldiçoou para que quem o pegasse tivesse uma morte terrível. O aulos foi pego pelo sátiro Marsyas, que desafiou Apolo para um concurso musical.

Confira Também:

Descubra agora o que é a famosa Mitologia Grega! Além disso, explicamos também quais são os principais Deuses, Personagens, Mitos e Seres Mitológicos. Devemos muito do que somos hoje aos Helênicos, confira!

Descubra agora quem eram os Ciclopes da Mitologia Grega! De uma forma simplificada, "Ciclope" é aquele gigante de um olho que de certa forma é pacífico. Alguns deles forjaram o Raio de Zeus.

O Colosso de Rodes foi, na Mitologia Grega, uma estátua Gigante em homenagem ao Deus e Titã do Sol Hélio. De fato essa obra existiu e foi considerada como uma das maravilhas do mundo antigo.